Total de visualizações de página

Eventos Evangélicos

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Aquele que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.

Resultado de imagem para fazer o bem sem olhar a quem
 O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo; Mt 13:24.
Paulo escreveu aos gálatas “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, porque há seu tempo ceifaremos se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé.” Gálatas 6:7-10.
O lavrador semeia a semente, rega, cuida e não desanima, passa a viver sua plantação, investe alto nela, esperando com paciência uma boa colheita. Toda árvore dá o seu fruto há seu tempo, uma questão de vida adulta. O trabalho para manter uma plantação limpa e saudável não é fácil, exige trabalho duro, a capina, o fertilizante, o combate às pragas, às ervas daninhas, a irrigação e outros tantos.
Vamos entender um pouco a respeito de algumas semeaduras.
A plantação da oliveira exige muita paciência; a oliveira costuma dar frutos (as azeitonas) só quando a árvore fica adulta, com cerca de 20 anos há algumas espécies de oliveira presentes em Israel nos dias atuais, que chegam a ter mais de 2500 anos de idade. Se o semeador não escolher a semente certa, ele pode estar plantando a oliveira-brava (zambujeiro).
Quem planta o Pequizeiro, tem que ter a paciência de aguardar (se a planta foi obtida por enxertia), três anos para produção de frutos, (se a planta foi obtida de semente que foi colocada para germinar), cinco ou seis anos.
O tomateiro: é colhido com aproximadamente 110 a 120 dias após a germinação ou 90 a 100 dias do transplante. O trabalho para uma boa colheita exige muito do agricultor, mais sua colheita se dá mais rápida.

Já imaginou se o lavrador desistisse de cuidar de sua lavoura, por causa do vento ou da chuva, ou de qualquer outro vendaval que viesse? Isto seria um grande desperdício, e se o lavrador deixasse um animal entrar em sua lavoura e arrancar suas semeaduras? E se ele por motivo de preguiça, não cuidasse de sua plantação?  O semeador cuida do seu cultivo e espera por uma boa colheita.
         O lavrador espiritual suporta as lutas e sofrimentos aguardando a boa colheita, seus bons frutos virão, cada alma ganha, será menos uma vítima ao inferno. Jamais devemos semear pensando em colecionar almas para nossa vanglória, mais devemos semear bons frutos em busca de uma enorme lista de almas que não mais serão condenadas; o nosso amor por estas almas deve estar acima de qualquer outra coisa nesta terra, afinal está é a nossa missão, semear a palavra, ainda que por pregação, por testemunho, por louvor ou por caridade, temos a obrigação de zelar do nosso campo espiritual, pois ele estando em alta, seremos mais do que vencedores em Cristo Jesus. Se podemos, fazer esse bem e não fazemos, estamos pecando.
Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado. Tiago 4.7
Temos exemplos profundos a respeito de pessoas que cuidaram bem daquilo que lhe foi confiado. Homens que não negaram a sua fé, semeado a boa semente aos corações ainda que isto lhes custasse caro.
De acordo com a tradição, o profeta Isaias foi cerrado ao meio, pelo rei Manassés, o profeta Jeremias provavelmente foi apedrejado por seus contemporâneos. Daniel foi jogado na cova dos leões, Sadraque, Mesaque e Abede Nego foram lançados vivos na fornalha de fogo ardente, João Batista teve sua cabeça cortada.
        Os apóstolos de Jesus sofreram os piores martírios que alguém jamais pode imaginar.
Mateus – Sofreu martírio à espada na Etiópia
Marcos – Foi arrastado pelo um animal nas ruas da Alexandria (Egito)
Lucas – Foi enforcado em uma árvore de oliveira na Grécia
João – Foi lançado em uma caldeira de óleo fervendo, como não morreu o baniram para ilha de Patmos.
Tiago (irmão do João) – Foi decapitado por ordem do rei Herodes
Felipe - Foi enforcado em Hierápolis.
Tomé – Foi amarrado em uma cruz e continuo propagando o Evangelho até o último sopro de vida.
Tiago (o menor) – O lançaram do templo de cabeça para baixo, ao verem que ainda continuava vivo, o lapidaram (apedrejaram), até a morte.
Bartolomeu – Um rei bárbaro lhe tirou a pele.
André – Foi transpassado com uma lança.
Judas– Foi morto à flechada.
Matias – Primeiro o apedrejaram e logo após o decapitaram.
Pedro – Foi crucificado de cabeça para baixo
Paulo – Foi decapitado por ordem o rei Nero.
        Nas catatumbas temos o último memorial dessa época terrível; aquelas cavernas lúgubres e as escuras passagens nas entranhas da terra são o mais precioso registro da Igreja; suas lajes toscas, com a palma e a coroa, falam de aproximadamente um milhão de mortos. No Coliseu supõe-se que milhares de mártires derramaram seu sangue em suas arenas. Daí para cá, milhares de pessoas morreram por amor a Cristo, semeando a boa semente do evangelho sem olhar para traz. È de doer o coração, só de pensar se estes nossos irmãos tivessem desistido do campo que foram chamados a trabalhar.
“Procura apresentar-te a Deus, aprovado, como obreiro que não tem de que sem em vergonhar, que maneja bem a Palavra da Verdade.”
2Tm 2.15

Quero apresentar aqui, cinco itens importantes para o lavrador espiritual.
     1º. Não tenha preguiça de cuidar do seu campo.
Passei pelo campo do preguiçoso, e junto à vinha do homem falto de entendimento, eis que estava toda cheia de cardos, e a sua superfície coberta de urtiga, e o seu muro de pedras estava derrubado. O que eu tenho visto, o guardarei no coração, e vendo-o recebi instrução. Um pouco a dormir, um pouco a cochilar; outro pouco deitado de mãos cruzadas, para dormir, assim te sobrevirá a tua pobreza como um vagabundo, e a tua necessidade como um homem armado. 
Provérbios 24:30-34.
O sábio ao passar pelo campo de um preguiçoso, ele presenciou coisas absurdas, a vinha estava no meio do mato, as pragas, ervas daninhas, urtigas e espinhos assolavam aquela plantação, quando ele olhou atentamente, avistou o dono da vinha, deitado, outra hora com as encruzadas, dormia um pouco e era de falto entendimento.
A vinha é a nossa vida espiritual, devemos estar o tempo todo, acordados espiritualmente para não deixar a preguiça nos tirar a coragem de trabalhar na ceara do Senhor. Não devemos ter preguiça de orar, de jejuar, de ler a Bíblia, de visitar, de ir a uma vigília, de buscar os dons celestiais e de sermos alguém útil na carreira da fé.

2º. Não deixe as coisas desta vida, te roubar do seu campo.
Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas. Ec 11:6
Coisas como: emprego, colégio, comércio, casamento, amigos, parentes, festas, viagens..., às vezes querem nos tomar todo o tempo de nossa vida, e quando percebemos já não estamos mais cuidando da nossa vida espiritual, e a primeira frase que nos vem nos lábios é “Senhor, o Senhor sabe que não tempo”; como podemos herdar a mesma morada dos mártires por amor ao evangelho?

3º. Não deixe os vendavais te impedir de semear a boa semente.
Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará. Ec 11:4.
Não podemos deixar as lutas nos afastarem do campo espiritual, se semeamos a semente dos dons, então vamos cuidar deles, como um bom lavrador que espera a boa colheita, se semeamos a semente da pregação, então vamos buscar o conhecimento, se fomos chamados a visitar, então vamos semear essa semente tão maravilhosa que nos foi proporcionada.            
       Até que ponto, somos capazes de cuidar da nossa plantação. Vejamos o exemplo que o profeta Ezequiel nos deixou: Viveu a maior parte de sua vida no cativeiro, comeu um rolo de livro, ficou mudo e só falava quando fosse para profetizar, foi amarrado com cordas para não sair do meio do povo, deitou durante trezentos e noventa dias, virado para o lado esquerdo e mais quarenta do lado direito e ainda amarrado com cordas para não desvirar, por trezentos e noventa dias comeu pão com estrume de gado e água racionada, teve que raspar o cabelo e dividi ló em três partes, sendo que uma parte ele queimou, a outra ele com a espada espalhou ao redor da cidade e uma parte espalhou ao vento e depois teve que ajuntar alguns fios dos que o vento levou e uma parte atar na sua veste e uma parte queimar, simbolizando os remanescentes, foi proibido de prantear sua esposa e a tradição diz que ele foi morto por um exilado idolatra. Vendaval nenhum desviou Ezequiel de profetizar ao povo o que Deus lhe ordenara falar.

4º. Não deixe o inimigo destruir a sua plantação.
Apanhai-nos as raposas, as raposinhas, que fazem mal às vinhas, porque as nossas vinhas estão em flor. Cânticos 2:15.
Essas raposas entraram na vinha e estavam destruindo tudo e era urgente a retirada delas da vinha. Era como os ídolos que as mulheres de Salomão estavam trazendo para Israel. Qual será a raposinha que tem nos tirado do campo espiritual? Sejam quais forem elas, isso é maligno e não tem parte com as coisas de Deus.

5º. Aprecie com amor e dedicação cada fruto que colher.
Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Mt 7:17-20.

        Aprendemos neste capitulo oito, que temos um campo a semear, uma plantação a cuidar, e uma boa colheita a fazer, então vamos usar de fé, segurar o arado e não olhar para traz. Cuidar da plantação pode não ser fácil, mais vale galardão. É pecado não prosseguir na fé.
Cada um fique na vocação em que foste chamado. 1 Coríntios 7:20
Para que vos não façais negligentes, mas sejais imitadores dos que pela fé e paciência herdam as promessas. Hebreus 6:12.

O pecado é a causa do fracasso!
Quer ter sucesso? Ande em fidelidade com Deus! 

Por Rosa Dias




Nenhum comentário:

Postar um comentário