Total de visualizações de página

Só Jesus Cristo salva!

domingo, 22 de setembro de 2013

As bem-aventuranças / Mateus 5


E Jesus, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos;
E, abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo:
Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;
Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;
Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;
Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.
Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.

Mateus 5:1-12
O Sermão do Monte é o primeiro dos cinco grandes blocos de ensinamento de Mateus. Aqui, Jesus mostra como a vida deve ser no reino dos céus, que é o termo usado por Mateus em referencia ao reino de Deus. Esse reino é abrangente: nada em todo o universo escapa à sua autoridade. Foi afetado, porém, pela rebelião insuflada no mundo pelo pecado. O povo de Deus estava consciente de que um dia, no futuro, o reino de Deus, anunciado pelo Messias, romperia com a História para dar fim à rebelião e apresentar a era que está por vir. É isto o que Jesus faz quando anuncia que o reino dos céus está próximo, mas ainda não se manifestou em sua plenitude; está restrito à vida dos que aceitaram a Jesus como o Messias e se tornaram seus discípulos. Esses discípulos têm a responsabilidade de viver de acordo com os valores que prevalecem no reino dos céus. Devem demonstrar que a Cida cristã é contracultural, não importa de qual cultura se tenham originado.As bem-aventuranças

Jesus sentou-se para expor suas ideias, de acordo com o verdadeiro estilo judaico de ensinar. Os ouvintes sentavam-se aos seus pés. As bem-aventuranças a seguir são apresentadas seguindo a fórmula com a expressão ‘bem-aventurados’. As bem-aventuranças são exclamações que expressam algo ganho como presente, uma dádiva recebida; todos devem desejá-las e alcança-las, mesmo que elas floresçam apenas no futuro. A benção e a alegria que elas proporcionam trem raízes profundas e não são afetadas pelos altos e baixos da vida.Os humildes de espírito

A expressão ‘humildes de espírito’, são aqueles que perceberam seu total desamparo por conta do pecado em sua vida e reconhecem a completa  dependência a Deus, tanto para as necessidades espirituais quanto para as materiais. Essa pessoa desenvolve desapego às coisas materiais e se apega a Deus. Todos nós devemos nos desapegar das coisas materiais e nos apegar  ao espírito Santo, quem possui esses atributos são chamados povo de Deus, pois deles é o reino dos céus. Nesse reino, não existe competição de interesses. Os que pertencem a ele aprenderam o segredo da total dependência a Deus, o que leva à total obediência à sua vontade.Os que choram

O termo ‘choram’, é bastante associado à dor e ao sofrimento causados pelo luto, pelo reconhecimento do pecado e de suas consequências. É por isso que o choro está relacionado ao arrependimento. O choro vem com o verdadeiro reconhecimento do pecado cometido por uma pessoa ou pela sociedade. As experiências pessoais e sociais combinadas lembram-nos da gravidade do pecado. Existe pecado em nossa vida, em tudo que nos cerca, em nossa cultura, em nossas estruturas econômicas e em tudo o que tocamos. O aquecimento global tem consequências trágicas e ameaça a sobrevivência humana. O mesmo acontece com a purificação étnica, que traz consequências devastadoras para qualquer país. As escolhas e atitudes pessoais produzem um catálogo de atividades humanas que nos fazem chorar de tristeza. Isaías tremeu de tristeza quando viu a pureza do Senhor, e nós sentiremos o mesmo pesar quando olharmos para a pureza de Jesus e para o desafio da crucificação. Deus entretanto vê esse pesar e retribui com consolo. Ele perdoa o pecado pessoal e seca o chão lavado pelo sangue de Jesus. Deus, no entanto, também inspira e fortalece os que choram, a fim de que possam remover as transgressões que levam ao pecado pessoal e estrutural. É isso o que significa a palavra ‘consolo’, pois deriva de um termo do latim que significa ‘fortalecer’.

Os mansos
Temos a tendência de confundir mansidão com fraqueza. A fraqueza é caracterizada por indecisão, ausência de moral ou força física, medo ou baixa autoestima. Contudo, não são essas as características que Jesus aprecia.  Ele está falando da mansidão que caracterizava Moisés e o próprio Jesus, ninguém pode acusar esses dois homens de fraqueza ou de indecisão! Mansidão é a capacidade de controlar e usar o poder apenas em beneficio de outros. É o contrário das emoções arrogantes, egoístas, auto afirmativas e descontroladas. O manso fica zangado, mas no tempo certo, e não por causa do orgulho ferido. Ele coloca todas as suas habilidades e emoções sob o controle de Deus e não permite que circunstâncias pessoais adversas perturbem sua paz. A recompensa dos mansos é que eles herdarão a terra, Deus pode confiar a terra a pessoas assim, ou seja, a terra no futuro. Sabe que os mansos não irão destruí la com desejos egoístas, pois já possuem tudo em Cristo. Essa bem-aventurança será cumprida literalmente na plenitude dos tempos.Os que têm fome e sede de justiça

Fome e sede sinalizam que precisamos de mais alimento ou de liquido. Se não atendermos a esse alerta, ficaremos famintos ou desidratados. As duas condições ameaçam a vida, mas podem ser facilmente corrigidas com a quantidade certa de comida ou de bebida. Contudo, as vontades naturais podem crescer e tornar-se finalidades em si mesmas. Sentir fome e sede por justiça é seguro, pois Deus sacia quem tem esse tipo de desejo. A bem-aventurança nos desafia a buscar avidamente a justiça, a buscar a Deus e sua justa instrução da mesma forma que o faminto e o sedento buscam algo para comer e beber, essa busca não engana nem decepciona.Os misericordiosos

Uma das parábolas de Jesus serve de comentário a essa bem-aventurança, os que demonstram misericórdia serão alvo de misericórdia. A misericórdia é uma resposta de amor a quem nos ofende, o qual pode ou não perceber a ofensa. Pela misericórdia Deus retém coisas boas para os pecadores, enquanto pela graça estende seu amor aos que não o merecem, a misericórdia implica a capacidade de entrar no mundo miserável de outra pessoa, sentir o que ela sente e agir para aliviar miséria. É uma compreensão intensa do próximo e de seus problemas. O samaritano demonstrou misericórdia quando cuidou de um homem abandonado à morte por ladrões, sem se preocupar com sua própria segurança ou com o que lhe era conveniente. A misericórdia nos convida a exercitar o perdão com mais frequência. Não podemos viver distantes e desapegados das outras pessoas nem de seus problemas. Deus com sua misericórdia entrou em nosso mundo com a solução para nós, a qual nem imaginaríamos. Quando exercemos a misericórdia, os outros nos trata da mesma forma, e o próprio Deus que já nos mostra misericórdia em Cristo, mostrara misericórdia ainda maior.Os limpos de coração

O metal puro é aquele que não apresenta impurezas. O coração puro é aquele sinceramente dedicado a Deus. Quem é puro não possui motivos obscuros. Vemos os efeitos dessa pureza quando duas pessoas sofrem o mesmo desastre natural e perdem tudo, menos a vida. Uma amaldiçoa a Deus enquanto a outra louva ao Senhor. Os que têm coração puro verão a Deus, isto é, contemplarão a ação de Deus no presente e o verão com os próprios olhos no futuro.Os pacificadores

Quando Jesus apareceu aos discípulos após a ressurreição, usou a tradicional saudação hebraica para desejar paz, sua saudação porém era diferente, pois Ele era o príncipe da paz, o maior pacificador entre Deus e os homens. A pacificação atribui aos que de um modo divino entra na guerra com paz, quando agimos no mundo esférico da turbulência desesperadora, levando a paz, entendemos, no entanto que foi por Deus, pois só Ele nos da essa paz, a de tranquilizar, pacificar.Uma das parábolas de Jesus serve de comentário a essa bem-aventurança, os que demonstram misericórdia serão alvo de misericórdia. A misericórdia é uma resposta de amor a quem nos ofende, o qual pode ou não perceber a ofensa. Pela misericórdia Deus retém coisas boas para os pecadores, enquanto pela graça estende seu amor aos que não o merecem, a misericórdia implica a capacidade de entrar no mundo miserável de outra pessoa, sentir o que ela sente e agir para aliviar miséria. É uma compreensão intensa do próximo e de seus problemas. O samaritano demonstrou misericórdia quando cuidou de um homem abandonado à morte por ladrões, sem se preocupar com sua própria segurança ou com o que lhe era conveniente. A misericórdia nos convida a exercitar o perdão com mais frequência. Não podemos viver distantes e desapegados das outras pessoas nem de seus problemas. Deus com sua misericórdia entrou em nosso mundo com a solução para nós, a qual nem imaginaríamos. Quando exercemos a misericórdia, os outros nos trata da mesma forma, e o próprio Deus que já nos mostra misericórdia em Cristo, mostrara misericórdia ainda maior.Os perseguidos

Essa bem-aventurança não diz que todo sofrimento leva a benção. Há sofrimento que nos sobrevem por motivos alheios à justiça, mas os que sofrem por seguir a Jesus são abençoados, e o reino dos céus a eles pertence. O cristianismo era uma religião nova e alvo de perseguição na família, no trabalho e também por parte do governo. Os imperadores romanos consideravam-se divinos e todos tinham que queimar incenso a uma estátua do imperador e declarar ‘que ele era senhor’, porém os cristãos diziam ‘Jesus é o Senhor’, muitos morreram por não reconhecerem o imperador, esse sofrimento será recompensado naquele dia vindouro. A perseguição é inevitável  a quem vive uma vida justa, Deus recompensará os que sofrem pela causa de Cristo.

(Em parte C.B.Af)


Rosa Dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário