Total de visualizações de página

Só Jesus Cristo salva!

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Quem me livrará do corpo desta morte?

Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Romanos 7:24
Tem gente de todo tipo nesse mundo, antes de prosseguir esse estudo, leia por favor esta história acontecida por volta de 1570 a 1610...·       A condessa Báthory.
Barão Ferenc Nádasdy, descendente da família, Nádasdy, era uma das mais ricas e mais influentes da época, na Hungria. Casou em 08 de maio de 1575 com a ilustre condessa Báthory, filha do conde György e Anna Báthory. O Báthory era uma família mais rica e ilustre do que a Nádasdy,  Ferenc, adotou o sobrenome da condessa, por esse ser de maior influencia.  Após o casamento, os novos senhores da Nádasdy foram morar em Csejte Csejte Castelo foi construído no século XIII , no topo de uma colina, ao pé da qual a aldeia de Csejte, que dá nome ao castelo descansado.   Por muito tempo, a fim, de sua esposa manter a ordem no castelo, Forenc ensinou Erzsebeth a punir com violências seus servos com varias formas de tortura, fazendo dela um monstro sanguinário, assim  Erzsébet, começou a mostrar suas tendências masoquistas e bissexuais.
Em 04 de janeiro de 1604, morre o cavaleiro negro húngaro Ferenc, por morte misteriosa e repentina entre uma batalha, deixando viúva Erzsebeth.
No dia 13 de dezembro de 1610, foi presa a condessa Erzsêbeth Bàthory, viúva do conde Ferencz Nàdasdy.  A condessa morava em seu castelo de Csejthe, ele tinha seus muros acinzentados dando um aspecto sinistro e assombrado, era uma verdadeira fortaleza, o ‘castelo descansado’.
Erzsêbeth ficou conhecida como a ‘mulher sangue’ ou para muitos ‘a mulher monstro’, assim era chamada por matar aproximadamente 650 virgens da região da Transilvânia e banhar se no sangue delas, para manter sua pele fresca e aveludada, sem rugas e sem envelhecimento, isto é o que ela pensava. Na sala de tortura do castelo as jovens eram açoitadas até a pele soltar da carne, por três feiticeiras e um anão, enquanto a condessa com um ferro em brasa queimava lhe as partes intimas, obrigava também as suas vítimas a comerem em sua companhia carnes assada das companheiras assassinadas. Nos pátios do castelo foram desenterrados mais de seiscentos corpos mutilados das vitimas sacrificadas entre 1605 a1610; a sanguinária condessa foi julgada e condenada a ser emparedada viva no seu próprio castelo.
·    Aplicação pessoal
Que demoníaco esta historia verídica, fico pensando não nos condes, estes já tem o castigo merecido; mas fico pensando nas 650 virgens vítimas da cruel vaidade da condessa sito a cima. Moças talvez cheias de sonhos, belas e simples, mas seguras pelas garras de uma mulher possessa de crueldade. Vejo as moças amarradas em um emaranhado de morte sem poderem se soltar, uma vez nas garras da assassina, das feiticeiras e do anão, jamais alcançaram a liberdade; triste sentença essa a de ser amarrada as garras da morte e não poder se soltar dela.
Quem me livrará do corpo desta morte?
Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Romanos 7:24
·       A necroforia
Um outro fato cruel que me vem a lembrança é uma das leis que os romanos adotaram dos povos bárbaros; a Necroforia:( ato de atar um cadáver ao criminoso até que morram juntos.) Questiona-se o que o mundo antigo sabia, de fato, sobre a prática da necroforia.
Clarke (canto 8, versos 478-485):
Por que assassínios tais e atrocidades Referirei?  Sobre ele e os seus recaiam! Vivos ligava a mortos, contrapondo Mãos a mãos (que tormento!) e boca aberta,E em triste abraço a pútrida sangueira Nessa agonia longa os acabava. Laços porém da infanda crueldade,Munidos cidadãos cercam-no em casa,Queimam-na; os vis asseclas lhe degolam”.
No contexto aristotélico da necroforia, Clemente de Alexandria (150-211 A.D.) Em sua obra homônima (Protréptico 7.4), esse erudito clérigo apresenta o diabo buscando escravizar os cristãos, à moda dos bárbaros [barbarikôs , que “dizem que amarravam seus cativos aos cadáveres até que os dois apodrecessem juntos. Clemente conclui, então, que, da mesma forma, o diabo, “com a corrente miserável da adoração aos demônios” ,amarra os homens aos ídolos.  Então, “como diz o provérbio, ele os leva e os enterra vivos, até que (homens e ídolos) apodreçam juntos”.
Por meio do contato com os romanos, muitos povos bárbaros absorveram sua cultura e seu idioma, a formação de reinos e a divisão política da Europa que a gente conhece hoje também começou a nascer na época das invasões bárbaras. No ano 400 a.C.,  romanos e bárbaros viveram lado a lado na porção oriental do Império Romano.
·       O apostolo Paulo conhecia muito bem sobre as leis romanas e é provável que fez uma comparação de tal barbaridade, todos sabiam bem que ninguém uma vez sendo sentenciado a cruel castigo, jamais poderia se livrar do corpo mortal que estava amarrado a ele; como no primeiro sito da ‘condessa’ as virgens uma vez no castelo, jamais escaparia; e assim era a lei dos que eram ligados ao defunto assassinado por ele mesmo; a pessoa era amarrada boca a boca, uns amarrados e jogados vivo com o defunto na sua própria cova, outros nas praças ate estado mortal;  imagine comigo, um defunto amarrado ao corpo vivo de alguém até se decompor por completo? O cheiro insuportável, os insetos e aves atraídos pelo odor, a coceira dos bichos varejeiras que andam pelo corpo do vivo? Os vermes do corpo do morto davam por comer e se alastra no corpo do vivo e a agonia tomava de conta da vida do condenado a carregar o morto. O defunto apodrecia e o seu odor se apegava a pele daquele que lhe carregava e o resultado era doenças terríveis que o levava ao óbito. Era uma tortura muito angustiante, pois se para os judeus era quase inconcebível tocar em cadáveres, imagine carrega-los amarrados a si. Isto já os deixava completamente sem paz. O apostolo mostra a escapatória em Cristo Jesus. Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Romanos 8:1

·       Uma vez que o Senhor Jesus Cristo levou sobre si as nossas enfermidades, ‘ Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido’. Isaías 53:4.
Uma vez que Ele nos chamou para ir a Ele com o nosso cansaço e fardo pesado, ‘Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.
Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.
Mateus 11:28-30.
Porque insistimos em levar um fardo tão pesado pela vida inteira, não podemos confundir  fardo com cruz, ‘E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim’.Mateus 10:38tomar a cruz é o ato de seguir o caminho na direção do céu, ainda que provados, mas firme na promessa de que com Cristo vale a pena carregar o peso, o qual não fará dando algum, apenas levara a eterna salvação em Cristo Jesus; essa cruz te levará a entrar no Paraíso;;carregar fardo é viver a vida inteira no deserto até morrer e morrer sem Jesus. Tem muita gente dentro da igreja carregando fardo não autorizado por Deus; jugo pesado que levara a morte.
·       Porque carregar sobre os ombros um problema a vida inteira? Porque a enfermidade nunca sara? Porque o marido não se liberta nunca do vício? Porque os filhos estão perdidos? Porque tanta divida? Porque...Porque e porque? Entende que falo com você crente! Tem que haver uma saída neste deserto; não alcançar a vitoria nunca é o mesmo que carregar um defunto sobre o ombro até a morte; uma vez que Jesus levou sobre si as nossas dores, então o crente tem que entender que nada é para mata ló, mas sim para dar lhe experiência de crescimento de fé.
·       O que tens carregado de tão pesado assim sobre seus ombros? Será o peso da morte, do qual falou Paulo? A inclinação da carne verdadeiramente pesará ao ponto da morte sem que alguém o salve, mas a inclinação do Espírito dará libertação e vida aos que servem a Jesus Cristo.
·       Quero que entenda que o que serve verdadeiramente a Cristo está liberto por Ele, qualquer situação constrangedora, logo passará; Cristo não deixará perecer o que de coração o serve; é tempo de se corrigir e decidir andar certo nos caminhos do Senhor; é tempo de saltar de cima do muro que esta entre servir a Deus ou não servir; não adianta viver em dois pensamentos, terá que decidir, optando por Cristo terá os ombros aliviados de tanto peso. Crente não é hora de brincar de ser crente, é hora de ser crente de verdade, livra te do corpo desta morte.
·       Para você que ainda não decidiu a servir Jesus, faça isto com pressa, Ele é a saída, aceite hoje ainda Jesus Cristo como o único e suficiente Salvador e Ele te livrará do corpo desta morte; Ele te livrará da sentença cruel deste mundo e o melhor ainda, Ele te livrará do fogo eterno, Jesus escreve uma história de salvação hoje na tua vida. O mundo está de mal a pior, o respeito de filhos com pais vai muito mal; os crimes bárbaros estão por aí; filhos esquartejam os próprios pais; pais matam filhos; o homem faz guerra, a mídia diz que o errado é o certo e quer que entendamos isto; a violência sexual e a sua imoralidade não anda, acelera; dentro das casas esta a atração do engano vindo de uma telinha que aparentemente é muito boa, mas o futuro respondera isto. Não tire sua família do mundo, mas tire o mundo da sua família!  
  Quem me livrará do corpo desta morte? Jesus!


Por vossa irmã em Cristo Rosa Dias



Nenhum comentário:

Postar um comentário