Total de visualizações de página

Eventos Evangélicos

terça-feira, 5 de novembro de 2013

As últimas coisas / Capítulo 16 / A Mulher e o Dragão / Apocalipse 12.

“Porque eis que passou o inverno; a chuva cessou, e se foi; aparecem às flores na terra, o tempo de cantar chega, e a voz da rola ouve-se em nossa terra. A figueira já deu os seus figos verdes, e as vides em flor exalam o seu aroma; levanta-te, meu amor, formosa minha, e vem”.  Ct. 2.11-13                                                     


Escatologia: “As últimas coisas”, estudo no livro do apocalipse.

Índice       


1. Os Sinais da segunda vinda de Cristo
2.  A Salvação
3. O Inferno
4. Os Céus
5. O Arrebatamento
6. O Bema de Cristo
7. As Bodas do Cordeiro
8. O que está acontecendo no mundo por aí?
9. A visão do Céu  
10. A Grande Tribulação
11.  Os 144.000 e a Grande Multidão
12. O Sétimo selo - o silêncio no céu

13. A quinta trombeta e o primeiro Ai 
14. O Livrinho
15. Apocalipse 11.
O Santuário é medido/
As duas testemunhas/
A sétima trombeta.

16. A Mulher e o Dragão

“E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça.
E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz. “E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas.
E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho.
E deu à luz um filho homem que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono.
E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.
E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos;
Mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus.
E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele.
E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite.
E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte.
Por isso alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo.
E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho homem.
E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente.
E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para que pela corrente a fizesse arrebatar.
E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a sua boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca.
E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo.”






V. 1, João fala da aparição de um grande sinal no céu, uma mulher grávida, vestida do sol, com a lua debaixo dos pés e uma coroa de doze estrelas na cabeça, ela grita com dores de parto; o termo usado para descrever sua agonia é o mesmo que define a experiência dos habitantes do mundo quando lhes sobrevem os julgamentos divinos; a mulher, portanto não está imune ao sofrimento. O filho varão que ela dá a luz é Jesus Cristo, aquele que há de reger todas as nações com cetro de ferro.
Esta mulher simboliza a nação de Israel; ela está vestida de sol, e o sol, por seu calor, brilho e luz, é a representação da presença e do poder divinos. Então, quando eles viram a mulher vestida de sol, na realidade, ela significava uma revelação do poder de Deus sobre Israel.

Debaixo dos pés dela havia uma lua. Sabemos que a lua recebe luz do sol. Então, essa lua representa o reflexo do poder de Deus diretamente para a terra. E diz ainda: “...e uma coroa de doze estrelas na cabeça...”  Ora, coroa de 12 estrelas representa as 12 tribos de Israel.



Essa mulher com dores de parto, na realidade, é Israel. Ela deu à luz ao Messias, porque, na carne, sabemos que ele é descendente dos patriarcas. E por que está sofrendo tormentos para dar à luz? Porque, nessa grande tribulação, o sofrimento que satanás manifestará sobre Israel trará uma dor tão grande, que o seu povo há de clamar por aquele Jesus que eles crucificaram:
A Bíblia mostra que a grande luta cósmica é a do bem contra o mal: de um lado Deus, de outro, o diabo. Apesar do dragão ter se colocado diante da mulher com todo o seu poderio, os seus 10 chifres, diademas, toda capacidade de governo sobre homens desta terra, a Palavra diz em Apocalipse 12:5 "Nasceu-lhe, pois, um filho varão, que há de reger todas as nações com cetro de ferro, e o seu filho foi arrebatado para Deus até o trono."
O Senhor há de reger com vara de ferro a partir da Nova Jerusalém. Vê que isso já havia sido profetizado por Davi no Salmo 2:8-9 "Pede-me, e eu te darei as nações por herança e as extremidades da terra por tua possessão. Com vara de ferro as regerás e as despedaçarás como um vaso de oleiro". Esta mulher, já sabemos, é a nação de Israel, e este deserto, com certeza, não é um lugar geográfico; aqui, deserto tem a ver com disciplina e sustento. Nesse ponto os fiéis de Israel opor-se-ão à religião do Anticristo, aceitando então a verdade de que Jesus Cristo é o Messias.  Virá uma grande apostasia, como nunca houve antes.
II Tess. 2.3,4 “Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus”.                               
Um grande dragão vermelho aparece na frente da mulher, esse dragão é identificado como sendo Satanás, Depois, diz o vs. 3 "Viu-se, também, outro sinal no céu, e eis um dragão, grande, vermelho, com sete cabeças, dez chifres e, nas cabeças, sete diademas". O grande dragão simboliza satanás. E por que a figura de um dragão? Porque a figura do dragão é uma figura monstruosa, amedrontadora. E por que vermelho? O vermelho tem a ver com o com o fogo, com sangue e com violência. A Bíblia diz que satanás, desde o princípio, é homicida. Vê isso em João 8:44.
O Dragão, sabendo que lhe resta pouco tempo, sai a perseguir Israel e os demais espalhados pelo mundo. Israel será socorrido por Deus durante os últimos três anos e meio da tribulação, e Satanás não poderá vencê-los (v.6).
A figura de um dragão vermelho é a figura de um matador que está sobre Israel para fazer sofrer o povo de Deus. E o dragão tinha 7 cabeças. Ora, as 7 cabeças são 7 impérios mundiais, através dos quais satanás vai operar contra Israel. Além da 7 cabeças, tinha 10 chifres e 7 diademas nas cabeças. Chifre, na Bíblia, significa poder demoníaco. Satanás vai usar 7 impérios mundiais, 7 países, e 10 governantes para executar os seus planos contra Israel. Diadema é coroa, de rei ou de rainha, e simboliza o domínio de reinos e governantes, ou seja, haverá um momento em que 7 impérios, com 10 governantes mundiais, usados por satanás, investirão contra Israel. (confira cap.9 a 16 dessa apostilha)
Diz o vs. 4: "A sua cauda arrastava a terça parte das estrelas do céu, as quais lançou para a terra; e o dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à luz, a fim de lhe devorar o filho quando nascesse." Quem são estas estrelas do céu? As estrelas do céu são os anjos que satanás arrastou quando se rebelou contra Deus. Isto mostra que a influência de satanás, dentro de Israel, é exercida com os seus demônios, pois a terça parte, que foi expulsa do céu, está com ele em Jerusalém contra o povo judeu.
V.7-12, Miguel e seus anjos lutam contra o dragão, dando inicio a uma guerra no céu; trata-se da única referencia ao arcanjo Miguel no Nt, com exceção de Judas 9. Em Daniel ele é o protetor angelical do povo de Deus (Dn. 10.13-21; 12.1). Apesar de ser travada no céu, essa guerra teve grande impacto sobre a história humana. O dragão e seus anjos não prevaleceram; a Bíblia retrata Satanás como o arqui-inimigo de Deus e seu povo. Essa inimizade está por traz de sua descrição como o sedutor de todo o mundo e o acusador de nossos irmãos, o engano é sua característica desde o principio. Uma voz no céu anuncia a salvação, a terra será governada pelo Messias, o Filho de Deus.
Furioso por não ter conseguido devorar o filho varão da mulher e por ter sido derrotado por Miguel, o dragão (satanás), volta sua ira contra a mulher e seus outros filhos, porém não consegue vence-los. A mulher com duas asas de águia foge para o deserto, onde é sustentada. A fidelidade dos santos é provada.
Sua irmã em Cristo Rosa Dias

(62) 9188 2681








 

Nenhum comentário:

Postar um comentário