Total de visualizações de página

Só Jesus Cristo salva!

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Estudo de Escatologia/ As últimas coisas / Capitulo 6 / O Bema

 “Porque eis que passou o inverno; a chuva cessou, e se foi; aparecem às flores na terra, o tempo de cantar chega, e a voz da rola ouve-se em nossa terra. A figueira já deu os seus figos verdes, e as vides em flor exalam o seu aroma; levanta-te, meu amor, formosa minha, e vem”.  Ct. 2.11-13                                                   


Escatologia: “As últimas coisas”.

Índice     

1. Os Sinais da segunda vinda de Cristo

2.  A Salvação

3. O Inferno

4. Os Céus

5. O Arrebatamento

6. O Bema de Cristo

Bema: O Tribunal de Cristo.
“Porque, todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal.”   II Coríntios 5:10
Tribunal: sede do magistrado, do juiz; jurisdição de um magistrado, ou de um corpo de magistrados que julgam em conjunto; lugar onde se discutem e julgam as demandas judiciais.
O "tribunal" (grego - bema) do mundo Grego e Romano era o lugar onde um juiz sentava para julgar.
O tribunal de Cristo  é o lugar onde Cristo julgará os cristãos.
Esse tribunal acontece depois do arrebatamento da igreja. Nele as obras dos crentes são julgadas e não o crente. O objetivo é recompensar o serviço feito com fidelidade.
O Julgamento
Todos passarão pelo “Tribunal de Cristo” para serem julgados por Ele; esse julgamento não será para condenação,  mais sim, serão julgados para Galardão.
O termo usado nas Escrituras para se referir a esta ocasião é "o tribunal de Cristo"; emprega-se em  2 Co 5:10 e Rm 14:10.
2 Co 5:10  Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal.
Rm 14:10 Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo.
O capitulo 5 de 2 Coríntios, expõe a razão por que Paulo sentia jubiloso em meio aos sofrimentos, ele acabara de dizer que, quanto maior for o sofrimento por amor a Cristo no mundo presente, maior será  nossa gloria na eternidade. No entanto, quer nesse corpo, quer fora dele, Paulo declara ter apenas uma preocupação; agradar ao Senhor (2 Co 5.9; Rm 12.1; Ef 5.10 e Fp 4.18). O apostolo não esta apenas esperando passivamente para ver o que acontecerá.  Acima de todas as coisas, deseja agradar ao Senhor ao viver e servir conforme a direção do Senhor. Afinal, um dia cada um de nós terá de prestar contas perante o Tribunal de Cristo, com respeito a nossos atos, a fim de recebermos segundo o bem ou o mal que tivermos feito, (v.10; Rm 14.10; 1 Co 3.12-15), todos seremos julgados diante do trono de Deus. Logo devemos abandonar a tentativa de julgar os outros. O julgamento pertence a Deus, somente Ele é Juiz de todos, Is 45.23. O propósito da prova pelo fogo é identificar o que é destrutível e o que é indestrutível.
O novo Testamento diz que os crentes fiéis receberão           galardão em reconhecimento dos seus serviços prestados ao Senhor.  Este galardão honrará as realizações e as obras dos crentes e assim não devem ser confundidos com a salvação, que é o dom gratuito de Deus.
Todos passarão pelo “Tribunal de Cristo” para serem julgados por Ele; esse julgamento não será para condenação,  mais sim, serão julgados para Galardão.
Agora os cristãos de Corinto deveriam assumir sua responsabilidade pessoal e erigir e terminar a construção sobre seu fundamento; eles não podem mudar a forma da fundação em si, (a pregação de Jesus Cristo), mas podem decidir se desejam construir em paredes usando ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno ou palha.
Paulo relembra aos coríntios que o edifício deverá resistir ao teste do fogo no dia do julgamento. Se o material da construção for suficiente forte para sobreviver ao teste, os construtores receberão o galardão; colhemos o que semearmos, todos os que forem salvos serão julgados para recompensa, correspondente ao que fez para Deus aqui na terra.
As obras serão provadas pelo fogo
I Cor. 3 : 13  A obra de cada uma se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta, e o fogo provará qual seja a obra de cada um.
O fogo mencionado aqui representa a santidade do Senhor, que reage contra tudo quanto é mau e diferente d'Ele. O propósito da prova pelo fogo é identificar o que é destrutível e o que é indestrutível. 
Obras destrutíveis: MADEIRA, FENO, PALHA
*MADEIRA -1 Co 3.12, parte lenhosa das plantas, quando seca, fica propicia ao fogo, queima facilmente. Símbolo das coisas humanas; são obras feitas apenas por meio da capacidade humana e com intenções carnais e mundanas.

*FENO (capim seco) – Dn 4.33; 1 Co 3.12, erva que se ceifa e seca para alimentar os animais, quando seca fica propicia ao fogo, queima rapidíssimo. Nos sugere necessidade de renovação.  São obras feitas por costume ou apenas por cumprimento de ordens de um superior.

*Palha – Mt 3.12; Is 17.13; haste das gramíneas (especialmente ceriais), despojada dos grãos, queima rapidíssimo; representa a ausência de estabilidade; são obras feitas e mal acabadas ou pior não acabadas; obras feitas relaxadamente.
Depois que as impurezas, (madeira, feno e palha) são queimadas, o crente é recompensado por aquilo que tem valor eterno, (o ouro, a prata e as pedras preciosas).

B. Obras indestrutíveis: OURO, PRATA E PEDRAS PRECIOSAS.

OURO - ouro fala da glória de Deus; são as obras feitas em Deus, conforme a palavra de Deus, e para glorificar a Deus.
PRATA - símbolo da redenção de Cristo; são obras que envolvem a fé redentora, salvadora. Está diretamente relacionado ao evangelismo.

PEDRAS PRECIOSAS - fala dos dons do Espírito Santo; São obras realizadas através do exercício dos dons espirituais.
Alguns não terão serviços recompensados,  embora percam o galardão, não perderão a salvação. Um exemplo são os que outrora eram maus e na angustia da morte, houve arrependimento aceitando a Jesus na última hora.
Os crentes fiéis serão recompensados em categorias diferentes de serviço e devoção cristãos.
Em Gálatas 6:7, Paulo diz que todos vão colher o que semearam.
Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará”.
 E em Colossenses 3:22-24, Paulo fala em particular aos cristãos quando diz que os que servirem bem ao Senhor receberão "do Senhor a recompensa da herança”.
“Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus.
E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens,
Sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis.
A perda experimentada por aqueles cujas obras foram queimadas não diz respeito à salvação da pessoa mais sim do galardão. Paulo deixa isso bem claro.
1 Co 3:15                                                                                             "mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo"
Todos passarão pelo “Tribunal de Cristo” para serem julgados por Ele; esse julgamento não será para condenação,  mais sim, serão julgados para Galardão.      Galardões
A palavra grega para galardão é misthós, que significa salário. Rm.4:4  Ora, ao que trabalha, o salário não é considerado como favor, e sim como dívida. Galardão, portanto, são as recompensas que os salvos receberão na glória porvir, de acordo com suas obras 2º Co.5:10.
A doutrina do galardão encontra apoio suficiente, tanto no Antigo Testamento  2º Crônicas 15:7  Mas sede fortes, e não desfaleçam as vossas mãos, porque a vossa obra terá recompensa.; Isaias 40:10; Isaias 62:11. Quanto no Novo Testamento (Mt.16:27; 1 Co.3:8,14; Ef. 6:8; Ap.2:23; 11:18.
Entre as recompensas temos as coroas: Distingue se cinco coroas em vários textos.  Não sabemos se são coroas mesmo ou se a palavra "coroa" é simbólica.
1. A COROA DA VIDA
Esta coroa será dada aos mártires; aqueles que foram martirizados por amor a Cristo;
Tiago 1:12 “Bem aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.”
Tiago fala da origem das tentações e do motivo de Deus permitir que sejamos provados. Há dois conceitos à  provação permitida por Deus para fortalecer seus filhos, a fim de que recebam a Coroa da vida, e a tentação enviada pelo diabo, a fim de nos derrubar; de acordo com Tiago o objetivo das provações é tornar os filhos de Deus ‘perfeitos e íntegros’, Deus prova seus filhos, mas não tenta ninguém, pois não pode de maneira alguma ser a fonte do mal, Deus é a origem de toda boa dádiva e de todo o dom perfeito. Ele é fiel e não muda, todos os dias devemos voltar a ser como éramos antes da queda, no principio.
Apoc. 2:10 c  “Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a Coroa da vida”.


2.  A Coroa da Justiça:
Essa coroa é prometida aqueles que amam e anseiam pelo aparecimento do Senhor – aqueles que vivem à luz da eternidade e da expectativa da volta iminente de Cristo.

II Tim 4:7-8 “ Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.”
3.  A Coroa de Glória
Para os fiéis apascentadores de rebanhos. (pastores)

I Pedro 5:3-4 “ Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho.
E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória”.

4. Coroa de Alegria (gozo)
Esta coroa será dada todos os ganhadores de alma.

I Tess. 2:19 “Porque, qual é a nossa esperança, ou gozo, ou coroa de glória? Porventura não o sois vós também diante de nosso Senhor Jesus Cristo em sua vinda?”

5. A Coroa Incorruptível

Para os salvos que completam até o fim e vencem a corrida que Deus lhes designou e eles tão bem aceitaram.
I Cor. 9-25  “E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível”.


*** O provável destinos das coroas de galardão, Apc.4.10-11   “os vinte e quatro anciãos prostrar-se-ão diante daquele que se encontra sentado no trono, adorarão o que vive pelos séculos dos séculos e depositarão as suas coroas diante do trono, proclamando”:
Assim como os anciãos do apocalipse, também vamos depositar diante do senhor as nossas coroas e proclamaremos “Digno és Senhor, de toda glória, honra e poder”.
1.    Recompensas
(algumas provavelmente são simbólicas)
Essas recompensas serão dadas a todos quantos foram salvos.
A) Vida Eterna                                                                                              "Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus".  Ap 2:7

B) Não sofrer o dano da segunda morte (lago de fogo)                      "O que vencer não receberá o dano da segunda morte".  Ap 2:11

C) O Maná escondido
"Ao que vencer darei a comer do maná escondido... Ap. 2.17

D) A pedra Branca                                                                             ...e dar-lhe-ei uma pedra branca,  Ap. 2.17

E) O Novo Nome
...e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe". Ap 2:17

F)  Julgar as nações
"E ao que vencer, e guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as nações. E com vara de ferro as regerá; e serão quebradas como vasos de oleiro; como também recebi de meu Pai". Ap 2: 26 e 27

G)
 Vestes brancas
"O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira
nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos". Ap 3:5 e 6      

H) Uma coluna no templo de Deus
"A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá;  e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome". Ap 3:12

I) Assentar se à com Jesus no seu trono                                             "Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono....    Ap 3:21
No livro de Mateus capítulo 20:20 a mãe dos filhos de Zebedeu pediu para que seus dois filhos se assentassem ao lado de Cristo um na sua direita e um na sua esquerda no reino de Jesus (ou seja no céu). 
 "mas o assentar-se à minha direita ou à minha esquerda não me pertence dá-lo, mas é para aqueles para quem meu Pai o tem preparado". Mt 20:23

"O sangue dos mártires é a semente dos cristãos." — Tertuliano 
As ruínas da cidade incendiada ainda fumegavam nos montes Palatino e Esquilino, quando Nero concebeu a ideia de satisfazer a raiva do povo com o sangue dos cristãos. Esse monstro, cujo nome é associado a tudo o que é cruel e impiedoso, foi o primeiro imperador romano a decretar a perseguição aos inofensivos servos de Deus. O édito foi emitido; o clamor, em toda parte, era o extermínio do cristianismo. Todo o mundo pagão armou-se contra ele. Mal fora promulgado o terrível decreto, e as pessoas, como que possuídas por demônios, lançaram-se em fúria desu­mana contra os inocentes e indefesos seguidores do Crucificado. A frené­tica resolução de desarraigar o cristianismo começou em Roma e difun­diu-se através de cada província e cidade do Império. Membros da mes­ma comunidade, e até da mesma família, converterem-se em delatores e executores uns dos outros. Nestas páginas acham-se registradas duas ou três ocasiões em que pais tentaram em vão, com todo tipo de tortura e castigo, abalar a lealdade de seus tenros e inocentes filhos. Em cada cidade e aldeia, foi concedida licença irrestrita aos magistrados para pilhar, aprisionar, torturar e destruir os cristãos; e esses oficiais subordi­nados, por sua vez, delegavam poder aos lacaios mais cruéis a seu serviço. O mesmo aconteceu, em época recente, na China e no Japão.
"Foi proclamado, além disso", afirma um mártir citado por Eusébio, "que ninguém deve experimentar qualquer cuidado ou pena por nós, mas que todos devem pensar e comportar-se em relação a nós como se não mais fôssemos gente".

Esses horrores não cessaram com os tiranos que lhes deram início. Por trezentos anos, os poderes do Inferno continuaram a sua guerra contra a Igreja, com maior ou menor fúria levantando e caindo, como as ondas do oceano; num momento, desabando com o estrondo e a espuma dos vagalhões na tempestade, e no outro, calmo e tranquilo como um lago.

Os escritos de Basílio sobre a perseguição de Deoclécio dão uma ideia geral do que foram as crueldades e os horrores daqueles dias.

"As casas dos cristãos eram deixadas em ruínas; seus bens, pilhados. Seus corpos caiam nas mãos dos ferozes lictores, que os dilaceravam como bestas selvagens, e arrastavam as matronas pelos cabelos através das ruas, insensíveis às súplicas por clemência, viessem elas dos idosos ou daqueles em tenra idade. Os inocentes eram submetidos a tormentos reserva­dos apenas aos mais vis criminosos; os calabouços eram lotados com os habitantes dos lares cristãos, que agora jaziam desolados; os desertos sem caminhos e as cavernas das florestas enchiam-se de fugitivos, cujo único crime fora a adoração a Jesus Cristo. Nesses dias trevosos, filhos traíam os pais, e pais acusavam a própria prole; os servos obtinham a propriedade de seus senhores por denunciá-los, e um irmão buscava o sangue do outro. Nenhuma reivindica­ção ou vínculo de humanidade parecia ser reconhecido, tão completa era a cegueira que a todos acometera, como se fora uma possessão demoníaca. Além disso, as casas de oração eram profanadas por mãos ímpias; os altares mais sagrados, derrubados. Nenhuma oblação a Deus era feita; nenhum lugar foi deixado para os mistérios divinos; era só tribulação, uma escuridão lutuosa calava todo consolo; o colégio sacerdotal foi disperso; nenhum sínodo ou concilio pôde reunir-se, por medo da matança que assolava em toda parte; mas os demônios celebravam suas orgias e poluíam tudo com a fumaça e o sangue de suas vítimas".

As catacumbas são o último memorial dessa época terrível; aquelas cavernas lúgubres e as escuras passagens nas entranhas da terra são o mais precioso registro da Igreja; suas lajes toscas, com a palma e a coroa, falam de aproximadamente um milhão de mártires.

Coliseu é outro testemunho dos triunfes do passado. Ele surgiu em meio aos horrores da perseguição, e tornou-se o campo de batalha onde a inocência e a fragilidade lutavam com a tirania e a criminalidade. O sangue, os milagres, e as vitórias da Igreja Primitiva lançaram uma reminiscência sagrada à volta dessas veneráveis ruínas, que nos faz aproximar com uma espécie de temor religioso. Supõe-se que milhares de mártires verteram seu sangue em suas arenas, embora os registros exatos não tenham chegado até nós. Dentre esses mártires, havia pessoas de ambos os sexos, e de diversas posições sociais: eram  príncipes de sangue realbisposmatronas de idade avançadadonzelas no rubor da juventude e da inocência, e crianças de tenra idade. A sua coragem e brandura, o seu triunfo sobre a dor e a morte, foram eloquência que plantou aquela cruz, que agora projeta a sua sombra na desolada arena. Os atos dos heróis do Coliseu preenchem as páginas mais interessantes e maravilhosas da história da Igreja Primitiva. São belos, eloquentes, tocantes, e estabelecem um notável contraste entre a força, a sublimidade e a magnificência do cristianismo, e a fraqueza, a vileza e a estupidez da infidelidade; são evidências incontestáveis da natureza divina da Igreja de Deus.
O MARTÍRIO DOS APÓSTOLOS
Segundo a Tradição, assim terminaram as vidas dos apóstolos e evangelistas:

O primeiro mártire foi Estevão, este foi apedrejado.

Mateus:
Foi morto à espada na cidade de Etiópia.

Marcos:
Foi arrastado pelas ruas de Alexandria e Egito, até expirar.

Lucas:
Foi enforcado em uma oliveira na Grécia.

João:
Foi metido numa caldeira de azeite a ferver, em Roma, mas escapou ileso e morreu mais tarde de morte natural, em Éfeso, Ásia Menor.

Tiago Maior:
Segundo o testemunho da Bíblia, foi degolado em Jerusalém.

Tiago Menor:

Foi precipitado de um pináculo do templo de Jerusalém ao solo; a seguir, foi esbordoado até morrer.

Filipe:
Foi enforcado de encontro a um pilar em
Hierápolis (Frígia, Ásia Menor).

Bartolomeu:

Foi esfolado vivo por ordem de um rei cruel.

André:

Foi crucificado e da cruz pregou ao povo até morrer.

Pedro:

Foi crucificado de cabeça para baixo, em Roma, durante o reinado de Nero.

Paulo:
Foi decapitado em Roma, também durante o reinado de Nero.


Assista este clip, clicando na seta central.
 



         

  Muitas vezes fraquejamos diante de uma pequena prova, enquanto muitos morreram e morrem de forma cruel por amor a Cristo, será que temos o direito de ganharmos o mesmo troféu que esses mártires? Será que podemos comparar a eles? Essa coroa só será dada aos mártires. Vejamos aqui alguns exemplos de pessoas que receberão essa coroa.
“O Céu onde vamos morar, ainda é para nós um cenário de mistério glorioso; Muitas serão as recompensas para os que perseverarem fiéis até o fim”.
“Bem aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguiram e,  mentindo, disser todo mal contra vós por minha causa. Alegrai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram aos profetas que foram antes de vós.” Mt 5:11-12.
Sua irmã em Cristo Rosa Dias

(62) 9188 2681 
Face book. Rosa Dias dos Anjos Carvalho
              






Nenhum comentário:

Postar um comentário