Total de visualizações de página

Só Jesus Cristo salva!

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Afinal, o crente deve fazer árvore de natal?

"Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará."               João 8:32

* Hemerildo Coelho, homem temente a Deus, foi canonizado como "santo" pela "icar" e se tornou o Coelhinho da Páscoa. Você crente acredita em coelhinho da páscoa? Pois é as fantasias vieram para confundir o que é verdadeiro, vamos ver se o crente deve ou não enfeitar sua casa com árvores de natal, papai Noel, etc,...
Origens da árvore de natal.
* Ninrode era tão perverso que se casou se com sua mãe, cujo nome era Semíramis. Depois da morte prematura de Ninrode, sua mãe-esposa propagou a doutrina maligna da sobrevivência de Ninrode como ente espiritual. Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Ninrode para uma nova vida.Todo ano, no dia do aniversário de nascimento de Ninrode, ela (Semíramis) alegava que seu filho-esposo Ninrode visitava a árvore “sempre viva”, e que deixava presentes nela. O dia do aniversário de Ninrode era 25 de Dezembro, e esta árvore é a verdadeira origem da “ÁRVORE DE NATAL”. (Gênesis 10:8-11 e 11:7 Já se sabe sobre o Cão, sobre quem Deus pronunciou uma maldição. O filho mais velho de Cão era Cuxe. Cuxe teve um filho chamado Ninrode. Ninrode foi uma pessoa poderosa e muitas pessoas o seguiram, tendo-o como líder. Alguém poderia perguntar como podia haver tantas pessoas a seguir aquele que é apenas o neto de Cão. Mas, se você olhar a idade de Sem quando morreu e a idade com que seus filhos tiveram filhos, você pode ver que até Cão chegar a 600 anos e seu neto Ninrode chegar a quatrocentos ou mais, havia, apenas entre as descendentes de Cão, milhares de pessoas vivendo sobre a terra. Ninrode era um homem como Caim. Escolheu unir-se a Deus e o céu pela obra das suas mãos, então propôs a construção de uma torre. Era para ser um lugar de adoração universal. O povo falaram todos a mesma língua e Ninrode raciocinaram que poderiam unir-se religiosamente e politicamente pela força. O trabalho que começaram (a torre de Babel) é uma das grandes maravilhas do mundo. Era colossal em tamanho, podendo ser comparada às grandes pirâmides do Egito ou do Velho México. Era para ser um lugar de adoração e idolatria. Mais tarde, essa cidade tornou-se Babilônia, que é um símbolo de tudo aquilo que é contra o povo de Deus. Muitos dos emblemas, estátuas e idéias que fazem parte de religiões hoje vieram da civilização idólatra de Ninrode. Até o livro de Apocalipse fala da Babilônia como símbolo da religião Satânica (Apocalipse 17)
Existem muitas histórias para explicar a tradição secular da árvore de Natal. 
Uma delas diz respeito à festa de Santa Bárbara, comemorada no dia 8 de dezembro. Era uma antiga tradição cristã cortar galhos de macieira ou cerejeira nessa data, para que florescessem antes do tempo como enfeite dentro das casas aquecidas. Posteriormente, o pinheiro enfeitado teria assumido o lugar dos galhos com flores de maçã e de cereja.
Entre os druidas, o carvalho era sagrado, entre os egípcios as palmeiras, em Roma era o Abeto, que era decorado com cerejas negras durante a Saturnália. O deus escandinavo Odin era crido como um que dava presentes especiais na época de Natal a quem se aproximava do seu Abeto Sagrado. Até mesmo acender lenhas em fogueiras e velas como cerimônia cristã é meramente perpetuação de um costume pagão de estimular o deus-Sol em declínio quando ele atinge o ponto mais baixo ao Sul da abóbada celeste.
A etnóloga Christel Köhle-Hetzinger, da Universidade de Jena, conhece toda uma série de histórias que tentam explicar a origem da tradição medieval: "Sabe-se também que árvores verdes eram postas nas igrejas na época de Natal, era, sem dúvida, uma alusão à árvore do paraíso. Ou seja, uma árvore cristã da vida, como na história de Adão e Eva. Ao pé da letra, esse papel caberia ao presépio com o Menino Jesus.
 Árvore de Natal enfeita até mesmo a praça de São Pedro, no Vaticano. No início, a Igreja refutou inteiramente a tradição de origem pagã. Somente há cerca de 100 anos é que o pinheiro natalino passou a enfeitar também os templos cristãos. Até então, ele estava mais ligado a costumes dos povos germânicos, anteriores à cristianização: no inverno, eles penduravam galhos de pinheiro sobre as portas das casas, no estábulo e nos tetos das moradias. Com suas folhas em forma de agulha, o pinheiro devia espantar maus espíritos, raios e doenças. Na Idade Média, árvores enfeitadas faziam parte de todas as grandes festas – por exemplo, das festas da cumeeira. A origem dos pinheiros natalinos também pode ser atribuída a tal costume. Sua primeira menção data de documentos do ano de 1419.
 A linda e exuberante árvore de Natal! Jeremias 10:2-4
    GUIRLANDA


São memoriais de consagração a vencedores nos esportes, Reis, ofertas de funerais, sacrifícios a deuses pagãos.

Símbolo relacionado ao deus Apolo, trazendo honra a Zeus.
Também é um sinal de reverência a Frígio, ou Sabázio, um deus de consagração aos alimentos.
Na Bíblia, apenas Roma fez uma guirlanda...e esta foi colocada na cabeça de Jesus no dia de Sua morte. Feita como símbolos de escárnio. Marcos 15:17


 Papai Noel
  Existiu um homem que foi Bispo de Antioquia, chamado de Nicolau, um homem temente a Deus e que ajudava muito os pobres e necessitados colocando em pequenos sacos moedas para os tais. Após a sua morte foi canonizado como "santo" pela ICAR e tornou-se o Papai Noel, ou seja, São Nicolau. Então a festa de Natal é propriamente um culto a este São Nicolau e uma de suas celebrações é a árvore de Natal, cercada por seus presentes. 

  Um evangélico não deveria fazer isto, pois, nós, como homens de Deus, devemos nos desvincular de todas as doutrinas da ICAR, inclusive Natal. 
    Aliás, o que nós temos a ver com a idolatria, culto a santos (no caso São Nicolau) e ainda acreditar em Papai Noel?
    O bom velhinho de barba branca é sempre alguém que se disfarça para parecer bonzinho! Satanás também se mostra como "anjo de luz" para enganar! II Co 13:14; Apo. 12:9. 

* Atitudes essas que não demonstram nada vinculado ao nascimento de nosso Senhor Jesus Cristo. "Nada me importa sobre a origem de árvore de natal, etc., se a origem é pagã ou não." Muitas vezes o crente não da à honra devida a Jesus, por não conhecer as escrituras.
* Pergunto: no seu aniversário, você gostaria que alguém lhe tomasse o seu lugar, passando por você e fizesse com que todos se lembrasse dele e não de você? E se a presença dessa pessoa fosse mais bem vinda e mais bem lembrada do que a sua pessoa? Apesar de Jesus não ter nascido em 25 de dezembro, é um data a qual lembramos se seu nascimento, o dia em que ele veio ao mundo para nos salvar, cresceu, cumpriu o seu ministério terreno, morreu na cruz do calvário por nós, ‘pois estávamos condenados ao inferno’, ele ressuscitou e esta a destra do Pai, e nos aguarda para irmos morar com ele.
* Idolatria: O papai Noel e árvore de natal nos dizem: ‘esqueçam Jesus, esqueçam seu aniversário, não liguem para ele, somos mais bonitos, mais alegres e notados em seus lares, damos alegria e bem estar à família, honrem a nós, admirem a nós, gastem dinheiros conosco, façam com que as crianças nos apreciem. Perceberam que papai Noel e a árvore estão ligados e roubam um espaço de seu lar para eles? Dizemos não a tantos pecados, drogas, vícios, prostituição, mentiras, etc., mas colocamos a idolatria em nossos lares, permitimos coisas que aparentemente parecem inofensivas aos nossos lares, contudo mais tarde nossos filhos farão o errado e prosseguirão no paganismo; quem me dera ha tempos eu soubesse claramente disto.
* Nosso Salvador: Mais será errado eu comemorar o natal? Não; exalte o Senhor Jesus e agradeça a ele, por ter morrido para salvar a humanidade! È errado fazer peças teatrais da vida de Jesus neste dia? Não. O certo seria que as igrejas mostrassem a morte crucial de Cristo pelo menos nesta data. O Natal é para lembrarmos do nascimento do Nosso salvador Jesus Cristo!

" E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." Romanos 12:2.
       
            Sua irmã em Cristo Rosa Dias.



sexta-feira, 29 de novembro de 2013

As últimas coisas/Capitulo23/A destruição da besta e do falso profeta /Apoc.19.



“Porque eis que passou o inverno; a chuva cessou, e se foi; aparecem às flores na terra, o tempo de cantar chega, e a voz da rola ouve-se em nossa terra. A figueira já deu os seus figos verdes, e as vides em flor exalam o seu aroma; levanta-te, meu amor, formosa minha, e vem”.  Ct. 2.11-13                                                     
Escatologia: “As últimas coisas”, estudo no livro do apocalipse.
Índice   
01. Os Sinais da segunda vinda de Cristo
02.  A Salvação
03. O Inferno
04. Os Céus
05. O Arrebatamento
06. O Bema de Cristo
07. As Bodas do Cordeiro
08. O que está acontecendo no mundo por aí?
09. A visão do Céu  
10. A Grande Tribulação
11.  Os 144.000 e a Grande Multidão
12. O Sétimo selo - o silêncio no céu
13. A quinta trombeta e o primeiro Ai
14. O Livrinho
15. O Santuário é medido/ As duas testemunhas/A sétima trombeta.

16. A Mulher e o Dragão

17. As duas bestas e o 666 

18. O Cordeiro e os seus remidos no monte Sião

19.  O Cântico dos Vencedores
20. As sete taças
21. Caí a Grande Babilônia.
22. A destruição da besta e do falso profeta.

E, depois destas coisas ouvi no céu uma grande voz de uma grande multidão, que dizia: Aleluia! A salvação, e a glória, e a honra, e o poder pertencem ao Senhor nosso Deus;
Porque verdadeiros e justos são os seus juízos, pois julgou a grande prostituta, que havia corrompido a terra com a sua fornicação, e das mãos dela vingou o sangue dos seus servos.
E outra vez disseram: Aleluia! E a fumaça dela sobe para todo o sempre.
E os vinte e quatro anciãos, e os quatro animais, prostraram-se e adoraram a Deus, que estava assentado no trono, dizendo: Amém. Aleluia!
E saiu uma voz do trono, que dizia: Louvai o nosso Deus, vós, todos os seus servos, e vós que o temeis, assim pequenos como grandes.
E ouvi como que a voz de uma grande multidão, e como que a voz de muitas águas, e como que a voz de grandes trovões, que dizia: Aleluia! pois já o Senhor Deus Todo-Poderoso reina.
Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou.
E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos.
E disse-me: Escreve: Bem aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus.
E eu lancei-me a seus pés para o adorar; mas ele disse-me: Olha não faças tal; sou teu conservo, e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus. Adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia.
E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça.
E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo.
E estava vestido de veste tingida em sangue; e o nome pelo qual se chama é A Palavra de Deus.
E seguiam-no os exércitos no céu em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro.
E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso.
E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores.
E vi um anjo que estava no sol, e clamou com grande voz, dizendo a todas as aves que voavam pelo meio do céu: Vinde, e ajuntai-vos à ceia do grande Deus;
Para que comais a carne dos reis, e a carne dos tribunos, e a carne dos fortes, e a carne dos cavalos e dos que sobre eles se assentam; e a carne de todos os homens, livres e servos, pequenos e grandes.
E vi a besta, e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos, para fazerem guerra àquele que estava assentado sobre o cavalo, e ao seu exército.
E a besta foi presa, e com ela o falso profeta, que diante dela fizera os sinais, com que enganou os que receberam o sinal da besta, e adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre.
E os demais foram mortos com a espada que saía da boca do que estava assentado sobre o cavalo, e todas as aves se fartaram das suas carnes.   Apocalipse 19:1-21
A destruição da besta e do falso profeta. Gritos de ‘aleluias’ (que significam ‘louvado seja o Senhor’) ressoam no céu; João escuta o som de uma grande multidão exclamando a Deus com glorias e louvores. A salvação e a glória e o poder são do nosso Deus; primeiro o coro louva a Deus por condenar a meretriz (v.1 e 2) e em seguida, celebra a destruição eterna da cidade (v.3). Os vinte e quatro  anciãos e os quatro seres viventes respondem com sua própria expressão de louvor (v.4). Por fim, uma voz do trono convida todos os servos de Deus a louva-lo (v.5). (V.6-10) ouvimos os louvores do povo de Deus, uma grande multidão, a qual é constituída pelos remidos; todos os remidos aparecem em cena vestidos de linho finíssimo, resplandecente e puro, o traje obrigatório para entrar na sala do Rei dos reis; a festa vai começar. Seguem-se os alegres acordes do cortejo nupcial, quando o cordeiro toma para si sua santa noiva. Chegou à hora das bodas do Cordeiro, a noiva já se aprontou (depois do julgamento no céu para galardão, a noiva se preparará vestindo de linho fino, para então acontecer esse tão esperado casamento. (Vs.11-16) Cristo volta montado num cavalo branco e seguido por todos os exércitos do céu (incluindo todos os remidos), esses voltarão cada qual montado em um cavalo, para lutar com Cristo na batalha do Armagedom. O julgamento da cidade perversa é seguida de uma visão da volta de Cristo e do estabelecimento da cidade eterna de Deus. A vinda de Cristo é retratada  por meio de uma série de imagens simbólicas que destacam aspectos de um acontecimento grandioso demais para ser compreendido de antemão. Quando o céu se abre, a primeira coisa que João vê é Fiel e Verdadeiro montado em um cavalo branco, este sai do céu que se encontra aberto. A observação de que ninguém conhece o nome completo do cavaleiro significa que ninguém é capaz de sondar as profundezas de sua pessoa. O cavaleiro e aqueles que o seguem estão vestidos para combate e reúnem para a batalha  do Armagedom. É  apropriado o titulo que ele receberá no devido tempo ‘Rei dos reis e Senhor dos senhores’.  V. 17-21, em seguida, vemos Deus derramar seu juízo sobre a trindade satânica; (Primeiramente são destruídos o falso profeta e o anticristo; posteriormente o dragão, Satanás), a antiga serpente vai para sua perdição final, todos vão vivos para o inferno; porém os demais que tem a marca 666 serão mortos e as aves comerão suas carnes, só no juízo final é que ressuscitarão para condenação e serão jogados no abismo profundo eternamente; não ficará um ímpio se quer sobre a face da terra, pois o Milênio que se segue será composto de pessoas fiéis a Deus.

Sua irmã em Cristo Rosa Dias

 (62) 9188 2681   
Face book. Rosa Dias dos Anjos Carvalho
Obs: Para ir para qualquer um dos assuntos do índice ou mesmo outro tema, clique no final de cada pagina vista ¨postagem antiga¨e assim você verá todas as postagens deste blog página por página. Ou então copia o assunto do índice ou tema e cola em ¨pesquisar este blog" e clique em pesquisar.